Mãe Coach

Certo dia eu estava conversando com um amigo e ele fez uma pergunta que me fez pensar alguns meses sobre o assunto.

Compartilho com vocês a pergunta:

“- Helder, você já reparou na quantidade de colegas médicos que possuem mãe professora?”

Aí eu parei para contar e com sua ajuda confirmei que eram vários.

Conversando com algumas professoras aposentadas em meu consultório percebi também que elas tinham filhos engenheiros, advogados, dentistas, entre outras tantas profissões.

O que isso significa?

Como diz o “banqueiro dos pobres” Muhammad Yunus:

“As mães fazem o máximo para melhorar a vida dos filhos, mas isto depende da percepção que ela tem sobre o que é melhor para os eles”

A atitude supera a realidade, se a mãe percebe que se um filho estudar será melhor para ele, ela o incentivará ao estudo. Se ela perceber que quanto maior o objetivo do indivíduo, maior será sua conquista, ela o incentivará a pensar alto.

A mãe professora tem estas características. Agora se a mãe achar que estudo não faz diferença, que responsabilidade é ser bobo e que o governo deve lhe dar tudo, ela não vai estimular o filho a nada.

A mãe professora é uma treinadora de vencedores, uma “coach”.

Então, talvez a melhor forma de melhorar a distribuição de renda é investir na atitude das mães.

Importante lembrar que educação começa em casa.

Mesmo que se invista mais dinheiro em educação, se não investirmos em atitude o resultado será medíocre.

O nosso sistema educacional passa uma mensagem subliminar que é muito negativa para nosso subconsciente, que deseduca, desestimula e infantiliza.

A verdade é que a vida não é fácil e se não treinarmos para isso ela fica ainda mais difícil, temos que passar gradualmente para a criança a responsabilidade dela pelo próprio aprendizado e não passar a mão na cabeça de um adolescente que ficou oito anos na escola e é semi-analfabeto, dizendo:

“- Coitadinho, não foi sua culpa.”

O mundo não se preocupa com a autoestima de ninguém, devemos treinar as crianças para cuidar da própria autoestima, porque assim ela vai crescer cidadão com garra e princípios, se tornando único e capaz no que faz.

Por isso tenha em mente que ninguém tem nada antes de conquistar. O que é dado não tem valor, mas quando é conquistado há crescimento e aprendizado e mesmo que lhe seja tirado você sabe conquistar novamente, quantas vezes for necessário.

Trabalhar como aprendiz não é vergonha e sim, OPORTUNIDADE. O que se pode aprender vale mais que o dinheiro que se ganha.

Educação no Brasil precisa mais de atitude do que de dinheiro e é bom lembrar que a lei diz:

“EDUCAÇÃO É UM DEVER DE TODOS E NÃO SÓ DO ESTADO”

Neste caso, arregaçar as mangas sempre!

VAMOS?

Anúncios