Como aproveitar o máximo das reuniões corporativas

Mais uma vez, gostaria de divulgar brilhantes ideais que foram expostas através de uma rede incrível de amigos que acreditam no conhecimento compartilhado.

Publiquei no meu Facebook a questão:

Na ExpoManagement 2011, Abílio Diniz se mostrou contra o excesso de reuniões nas empresas, pois acredita que transparece falta de foco e disse: “Existem empresas que sempre fazem reuniões e geralmente isso acontece porque não sabem o que fazer”. Vocês concordam ou discordam com ele?”  

O músico Adriano Fiori, acredita que é relativo, visando a necessidade de cada empresa. Para a sua equipe de 20 músicos, prevalece a objetividade, ou seja falar o necessário: “Tenho um grupo de 20 músicos que administro e até hoje este método tem funcionado muito bem. Sempre consigo atingir meus objetivos”, relata.

Segundo Ana Bassi, existe a necessidade de destacar a participação do líder neste contexto, este, ainda é um ponto chave no desenvolvimento das reuniões corporativas. O líder deve transmitir suas ideias alinhadas com a visão da empresa, para que seus subordinados ajam de acordo com o que foi decidido, sem dúvidas e focos pré-estabelecidos, com dedicação e força de vontade para superar desafios. Para não ter a sensação de “dar voltas no próprio rabo” ou até mesmo virar jargão “quem fala muito dá bom dia a cavalo”, como diz a querida mamãe do meu amigo Paulo Balbino Silva, ou como a vovó da minha amiga Aline Patini, “Tudo o que é demais, sobra”.

Angelo Zambon Netto diz que reuniões são necessárias em duas ocasiões: No caso da reformulação de um planejamento, pois o primeiro não atingiu seus objetivos, ou em caso de uma nova empreitada na empresa.

A experiência do meu amigo Carlos Eduardo Pereira, mostrou à ele que sua produção tem sido falha devido a quantidade exagerada de reuniões. Ele relata que a duração de cada uma está relacionada com a quantidade de pessoas participantes, sendo que cada profissional possui suas convicções, a serem exaustivamente defendidas e debatidas.

É extremamente comum as pessoas não saberem o que fazer, mas existem técnicas e ferramentas para resolver isso. Muitos profissionais usam as reuniões para parecerem ocupados, mas acabam transparecendo que não são eficientes.

Nossos pensadores apostaram em algumas dicas que simplificam a vida daqueles que têm em seu cotidiano reuniões esporádica ou também, líderes que necessitam desta ferramenta para melhoria continua. Vamos a elas?

Necessidade de priorização nas questões a serem discutidas, apontar a real necessidade da reunião, inclusive aos participantes. Objetividade. (Dica do Netto Cambiaghi);

Tenha uma pauta antes de iniciar o debate, um objetivo, um caminho a ser percorrido, tenha a duração desta reunião, seja a pessoa que irá liderar todo o processo, saiba gerenciar todas as opiniões adversas (Dica da Andrezza Leite);

Após recolher dados, informações, brainstorm, o que fazer com tudo isso? Compartilhe com atas, o que foi acordado, quais os próximos passos, responsáveis por cada ação, prazos, expectativas e a cada alteração, comunicar a todos os envolvidos. (Dica da Vanessa Sare);

Ouça as pessoas que não possuem a mesma opinião que você. Não gere conflito, vocês estão juntos para inovar, melhorar e não entrar em desgaste. Integre as ideias e pense o motivo pelo qual a outra pessoa não tem a mesma linha de raciocínio que a sua. (Dica do Samuel Pedrosa);

Espero que vocês tenham aproveitado este texto colaborativo maravilho feito exclusivamente pelos meus amigos do Facebook.

Escrito por diversas mãos, mentes e culturas, tornando isto é algo de um valor imensurável.

Obrigado Amigos.

Gostou?

Escrevemos outro: Sucesso x Felicidade

Até a próxima =D

Anúncios