Pulo do Gato

Novamente uma crise nos mostra oportunidade de aprendizado. Vemos a possibilidade do gigante Estados Unidos da América ameaçar novamente a economia mundial, desta vez com o calote da sua dívida externa. Mas não vou falar sobre isso.

Vou pegar carona na entrelinha do tema e mostrar algo muito útil para nós.

Já mencionei que uma crise não se decreta a partir de uma data, mas ela vem se formando antes disso e de repente tudo se precipita. Neste momento alguns estão preparados e outros não.

Com a crise de 2008 muitas empresas grandes em dificuldade precisaram ser socorridas pelo governo americano. Esta ajuda também contribui para piorar a dívida americana e hoje observamos as manobras para evitar o calote.

Uma das empresas muito ajudadas foi a General Motors.

Olhando para o passado vemos Henry Ford revolucionar o mercado de automóveis com atitude, a linha de montagem, selecionando e pagando melhor os funcionários mais produtivos e franqueando pontos de venda.

A estratégia dele não foi perfeita como, por exemplo, ao insistir que o cliente poderia ter um carro de qualquer cor “desde que seja preto”.

Nesta falha permitiu que a concorrência crescesse como a General Motors e esta disputa se estende por décadas.

Mas o Sr. Ford fez um movimento genial, que muitos não entenderam, criticaram, condenaram, chamaram de demagógico, etc. Ele constituiu a Fundação Ford para propósitos científicos, educacionais e caritários.

Estes fins científicos e educacionais com certeza ajudaram o desenvolvimento e estabilidade desta montadora de automóveis e hoje, diante da crise, ela é muito mais saudável que a concorrente.

Assim podemos ver o terceiro setor trabalhando para o desenvolvimento econômico e social, equilibrando o funcionamento da economia, dando agilidade e evitando o desgaste governamental para corrigir os desequilíbrios.

Pense nisso.

Anúncios