Qualidade de Vida

Quebrando paradigmas dos pensamentos atuais, qualidade de vida não significa ter dinheiro em abundância para uso próprio ou compartilhar uma família perfeita sem conflitos. Tão pouco viver em um paraíso tropical, sem ter que trabalhar ou em país do primeiro mundo.

Qualidade de vida é qualidade de crenças, qualidade de valores, qualidade de perguntas, qualidade de respostas, qualidade de objetivos, qualidade de planejamentos, qualidade de ações.

Vivemos 97% do tempo dentro de nosso “mundo próprio”. Durante a vigília ficamos a maior parte do tempo ocupados com nossos pensamentos que são repletos de dúvidas, conflitos, desejos, medos, etc.

Outro grande aspecto é fato de vivermos por muito tempo presos as ações do passado, ansiosos e temerosos em relação ao futuro e com isso acabamos não usufruindo e agindo no AGORA.

Qualidade de vida é colocar tudo isso no lugar certo.

Do passado devemos aproveitar as experiências para não cometermos os mesmos erros e principalmente nos perdoar do que fizemos e não nos orgulhamos.

O futuro devemos defini-lo e planejá-lo com seriedade.

Para dar um primeiro e grande passo em busca de qualidade de vida é preciso que entenda que você é o responsável pelos seus resultados, seja dono de si, ou seja:

O que você possui hoje é resultado do que você fez ou deixou de fazer no passado, e o que terá no futuro será resultado do que você fizer e não fizer a partir de hoje.

É importante entender também que não se consegue nada sólido na vida sem um trabalho consistente de pelo menos cinco anos.

Como será sua vida daqui há 5 anos dependerá também das pessoas que você irá se relacionar, ouvir e dos materiais que você irá ler. Escolha sua companhia, leia e estude.

Você prefere aprender com o erro dos outros ou apenas com os seus?

Estando consciente disso, podemos dar o próximo passo.

O segundo passo é definir aonde você quer chegar. Se não definir, não chegará a lugar nenhum e daí vem à angústia e a depressão. O que você quer para cada aspecto de sua vida? Pense sobre os aspectos financeiros, intelectuais, profissionais, afetivos, férias, etc.

Faça a seguinte pergunta milionária: “O que eu faria se dinheiro não fosse limite?”.

Não use a falta de dinheiro ou outros pontos como desculpa pela preguiça de assumir o controle da própria vida.

Agora estamos definindo objetivos, deixe os problemas de fora, cuidaremos deles depois.

Por isso como treino à você que está lendo este texto agora, peço:

– Em um papel escreva estes objetivos.

Em terceiro lugar vamos planejar, então coloque uma data para que estes objetivos possam se realizar, em seguida escreva tudo que você precisa saber, fazer e ser para atingi-los e escreva as ações a serem feitas detalhadamente. Quanto mais específico você for, mais certo será o sucesso. Lembre-se também de prever os “problemas”, mas é hora também das soluções, seja criativo.

Finalmente pratique! Algumas estratégias não funcionarão e isto é normal, então mude de estratégia, mas não desista, não pare, mantenha o foco. Repare que isto irá ditar o presente.

Trabalhar baseado no seu plano gera muita satisfação espanta depressão, pânico, etc. Torna o caminho mais agradável e gratificante que o próprio destino. Tendo o objetivo e o plano de ação claro e colocá-lo em prática torna pequenas as dificuldades e contrariedades do dia a dia.

Importante também é comemorar cada pequena conquista, esta celebração é muito positiva para a mente.

É simples? Sim.

É fácil? Coloque em prática.

Busque sua qualidade de vida.

PS: Se você atingir seus objetivos em menos tempo que o previsto não se assuste, é normal. Compartilhe comigo, ok?

Anúncios