Por que todos deveriam entender o Terceiro Setor?

Existe uma maneira muito interessante para enxergarmos e entendermos algumas coisas, falo do uso do contraste.

Então, para este texto “usaremos contraste”.

Imagine um país onde os pais não precisam se preocupar com o futuro de um filho que não quis seguir uma profissão que “dê dinheiro”, pois lá, há condições dele trabalhar e ser remunerado dignamente pelo seu desempenho executando seu talento.

Neste país um empreendedor possui incentivo e apoio ao iniciar seu negócio, mais do que isso, é estimulado a fazer algo inovador e até revolucionário. São oferecidos recursos financeiros, materiais para estudo, pesquisa e desenvolvimento tecnológico que pode ser usado no setor produtivo.

Permite também que se use parte do imposto a ser pago para desenvolvimento econômico e social da comunidade local. Oferecendo saúde, educação e benefícios aos trabalhadores, seus dependentes e até para ações ambientais. Possui um conjunto de leis de incentivo elogiadas no exterior.

O melhor de tudo é que não é necessário pedir favor a político nenhum, pois como todos sabem, isto viola a democracia e origina a corrupção. Possui sim, conselhos locais e links na internet em que se pode encaminhar projetos e acompanhar os trâmites.

O que é necessário para alcançar tudo isso? Apenas estudar e aprender, como tudo na vida.

Agora se prepare para uma grande surpresa:

O país citado acima existe e ele se chama BRASIL.

Nossas leis são boas, existem os recursos, existem os conselhos e portais na internet, mas falta habilitação para ter acesso a eles.

Avalie que tudo que foi dito são ações de assistência social e não se falou em lucro?

Aqui entra o chamado Terceiro Setor que representa o que não é governo (Primeiro Setor) e com fim lucrativo (Segundo Setor). Terceiro Setor é antes de tudo a sociedade que se organiza em prol do bem comum.

Esta atividade complementa, serve de interface e melhora o desempenho das ações do governo e das empresas que visam lucro.

No primeiro mundo estas atividades são equilibradas e o Terceiro Setor representa de 30% a 40% do PIB e dos empregos, já no Brasil representa 3%. Veja o tamanho da oportunidade.

Este desequilíbrio nos leva a atual realidade que enfrentamos. Por isso enfatizo a necessidade de aprendermos cidadania e principalmente o estudo do Terceiro Setor para o desenvolvimento da nação.

SAIBA MAIS:

A Constituição Federal do Brasil privilegia todas atividades descritas em seu artigo 6º, dando imunidade tributária, desde que seja feito no formato sem fim econômico, mas permite que se remunere os mantenedores pelo patrimônio que foi posto a serviço da instituição.

O benefício vai além, permite captação de verba pública para seus fins, inclusive a fundo perdido. Permite obtenção de verba do setor privado através de incentivo fiscal e de renúncia fiscal. E, finalmente traz vantagens para o balanço sócio ambiental das empresas, que com a instituição de ISO 26.000, é a nova moeda de troca internacional.

A maioria das entidades não estão preparadas para ter acesso a tudo isso e o governo municipal também está atrasado, ou pior, desinformado/desinteressado, pois são necessárias algumas leis municipais para que o mesmo seja aproveitado. Os Conselhos Municipais têm um importante papel neste cenário definido em lei.

Para se ter idéia, apenas do setor privado, é possível que se use para fins de pesquisa, inovação e desenvolvimento econômico e social local 3,5% do lucro operacional das empresas como renúncia fiscal, 4% do IR de pessoas jurídicas e 6% do IR de pessoas físicas como incentivo fiscal. Temos leis na área trabalhista e ambiental com grande impacto nos custos das empresas, está aí a grande solução. Possui também 2% dos depósitos à vista em instituições financeiras que pode chegar a 15% da economia circulante local.

FAÇA  A CONTA:

Todo este dinheiro poderia ser usado em benefício às comunidades locais, mas como não acontece, vai tudo para Brasília!

E VOCÊ?

O que vai fazer com o que aprendeu hoje?

 

Anúncios